Minha Violência

Link da imagem: https://br.pinterest.com/pin/545920786071214498/

Link da imagem: https://br.pinterest.com/pin/545920786071214498/

A violência! Assim trato a frustração
Agressão, essa encravada na minha medula
Assombra e me arrasta,
Essas faces horríveis da minha existência
Parado, encaro esses olhos inflamados e vermelhos
Essa figura decrépita, magra, suja e sempre faminta
Reconheço-me, abro meus braços e o aceito
Essa violência desenfreada de tudo!
Vontade de agressão suprimida.
Esse ódio expansivo,
Essa raiva explosiva
Vinde novamente a mim!
Acenda a caldeira, e faca tudo ferver
Grite, e se arraste, para a porra do fim.

Feudalismo da Pessoa Jurídica

No final de 2016
o trabalho é foco no ocidente
oito horas ao dia, sete dias na semana
o homem é carente,
se submete ao dinheiro
2 horas extras, para mostrar comprometimento

No final de 2016
o homem carente, submete-se ao trabalho
fatia sua personalidade
adequa-se , alinha-se, realoca-se…
alinhado com politicas e metodologias empresariais

No final de 2016
parece o inicio de 1016
o feudo, empresa
o lord, ceo
gerente, vassalos
servo da gleba, colaborador

No final de 2016
no inicio de 1016
ou no fim de 3016
a formula muda
já o humano…

Um novo BraZil – Conto

brasil

Abriu os olhos, sentiu o corpo pesar sob o colchão, não queria levantar, mas o fez contrariando todos os o desejo da mente, mas agrandando as necessidades do corpo; executou seus procedimentos diários de limpeza matinal com uma paciência descomunal. Em meio as escovadas de dentes encarou-se no espelho e não se reconheceu, seu rosto adquirira um semblante carregado de preocupações e a beira do desespero, a tristeza salva-se aos olhos, sentiu um pesar no estomago.

Caminhou até a cozinha e preparou seu café, algo simples, um café preto e ralo, culpa dos preços que dispararam em uma inflação galopante, uma fatia de um pão quase mofado, afinal em momentos de crise não se pode haver desperdício. Sentou-se a mesa e preparou metodicamente os itens, o prato com o pão quase mofado, o copo de café ralo, tirou uma sujeira imaginária da mesa com os braços, ajeitou cuidadosamente seu celular sobre a mesa, abriu o aplicativo de televisão e tentou acessar algum sinal de TV digital, essa sempre fora sua rotina das manhas.

Em meio aos sinais fracos, ruídos e um barulho irritante, conseguiu “pegar” porcamente, mas suficiente para enxergar algo, um dos canais, o logo havia mudado mas reconheceu que esse canal já fora o maior do país. Então começou a ver o noticiário para se colocar a par do que ocorria, mastigava o pão vagarosamente enquanto tomava pequenas bicadas de seu café, não havia pressa ali era um ritual , normalmente orquestrados as manhas de domingo, só que era uma terça-feira . O pequeno aparelho, fazia sua função e começou a transmitir as grandes novas dessa manhã:

“- Informamos que houve mais um ataque na orla de Copacabana, em uma manifestação pacífica do movimento “Paz no País” , um artefato explosivo detonou, levando a 33 mortes e 42 feridos. O EIC (Estado Islâmico Capixaba)Assumiu a autoria do crime, e diz que os ataques não cessaram; que essa será o Levante islâmico no país. A policia informa que com o abrigo dos antigos grupos de traficantes das favelas do Rio de Janeiro, a policia não consegue conter os ataques, e enfrentar diretamente o grupo terrorista.”

Tomou mais um pouco de seu café, engoliu vagarosamente, essas notícias despertavam asco, mas já eram corriqueiras no país.

“– O novo país, criado, a Republica Curitibana, informa que fechou as fronteiras e que não aceitaram mais nenhum refugiado, apenas os que tiveram provas de que são nascidos nos antigos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Acusado de ser um regime totalitário e preconceituoso o presidente da Republica Curitibana rebate as críticas sobre sua politica. “Sempre querem nos comparar a Neonazistas, isso é ódio pois nosso país está cada dia melhor, temos orgulho do nosso Nacionalismo, e defenderemos nossa mada Pátria”

– Enquanto isso os conflitos na região nordeste se estreitam, nas trincheiras da já conhecida como “luta pelas capitais”, os Conselheiristas, que abrangem todo estado da Bahia estão em constante conflito armado contra o grupo Poder de Deus Mundial (PDM) que conta com o Apoio dos Malafianos , esses temem a crescente expansão dos Conselheiristas. O conflito armado é mais evidente em Porto Seguro e Vitória da Conquista. Ambos os lados dizem que não haverá acordo de paz. Agora vamos as notícias do tempo.”

Sentiu um pouco doe enjoo, não saberia dizer se era pelo pão mofado, o café ralo, ou as notícias que deglutia em conjunto com seu café da manhã.

“- Foi pego, nos domínios dos Universalistas, no estado do Para mais uma pessoa que de dominava Ateia, sua execução esta marcada para daqui a uma semana, enquanto pessoas que eram praticantes do candomblé, foram encaminhadas para o centro de Reabilitação Religiosa da Glória de Deus. O grupo tentava chegar em território Conselheirista mas foram surpreendidos pelo Exército da Salvação Divina. Esperamos que suas almas possam ser salvas. A ONU condena a ação.

– São Paulo informa que tem interesse em se anexar a República Capixaba, pessoas com descendência do Nordeste e de religiões Africanas se aglomeram em cidades de fronteira como Ilha Solteira e Pereira barretos para um êxodo com intuito de chegar próximo aos domínios dos Conselheiristas, tentando evitar as áreas de conflitos armados, os entrevistados temem uma limpeza étnica. Por sua vez, o Exército da Salvação Divina, informou que ações militares serão intensificadas para levar a luz de Deus para todas as sombras.

– Mais um ataque no centro de são paulo, uma família de imigrantes e descendentes Hatianos foram brutalmente assassinados, há indícios de crime de ódio, “Voltem para floresta de onde sairão, macacos” foi o bilhete encontrando na boca do filho de 8 anos da família assinada; os Carecas do ABC assumiram o atentado.

– Notícias internacionais: a ONU e União Europeia dizem que a perseguição religiosa deve parar no Brasil, e Acusam a Arábia Saudita de estar financiado O EIC. E com as provas obtidas contendam a Russia que está fornecendo armamento para os Conselheiristas.

– Argentina e Bretanha fazem parceria econômica com a Republica de Capixaba.”

Ao terminar seu último gole de café, afasta a cadeira com com as pernas, e termina de se trocar. Preparando-se para sair, verifica mais uma vez no espelho grande, diga-se de passagem o seu seu único luxo de tempos remotos, se sua roupa esta de acordo com a nova sociedade que surgi em São Paulo, dos sapatos brancos, surrados mas limpos, a sua saia comprida, garantido que há pano 4 dedos abaixo do joelho, afinal até os joelhos no dia de hoje são armas de destruição em massa, e os mesmos devem estar cobertos de Jeans, a sua camisa social espessa mas bem alinhada, esscondia precisamente seus atributos, hora fonte de orgulho, agora uma fonte de vergonha, nesse momento notou que sua gola não estava dignamente alinhada, cansada ela arruma com os dedos ágeis e no processo de arrumação, encontra os próprios olhos no espelho não se reconhece novamente vê um rosto sem esperança. Então iluminada, tem sua resolução, pega um papel e rascunha algumas linhas entre o prato, o copo de café e o celular.

“Sempre pensamos que o fim do mundo estava longe, hó Brasil antigo como se enganava, aquele país no qual cresci não existe mais, nos cegamos e deixamos tudo acontecer, ficamos com medo das secas acabar com o Cantareira, tememos a morte por sede E hoje, o cantareira borbulhando carmesim, do sangue dos nossos amados esposos, filhos e filhas. O sangue jorra mais que água no que outrora já foi um país livre e pacífico. Sempre pensamos que o petróleo, ouro ou mesmo nióbio destruiria o mundo, mas nos esquecemos do mais importante. O Fator Humano.”

Termina calmamente suas linhas colocando sua assinatura no final do papel, sentiu-se orgulhosa pelo feito e pela beleza de sua assinatura, encara-se novamente no espelho, e sai para o mundo. Pela janela do Vigésimo Oitavo Andar.

 

 

Por ali a beleza!

Por ali anda a beleza
Clara em sua palideza
irreconhecível, não importa, realeza

Você judiada e disforme
maltratada a marretadas
fatiada pôr bisturis
leva na face um sorriso falso
nem o cálcio pertence a ti.

Beleza irreconhecível
desnorteada, podre e estuprada
ja não mais pertence a ti,
a mim
qualquer um.

Beleza desforme
va e morra, em lugar algum
Renasça e volte
Como beleza pura, e palpável

Erro que acerta

Erro que acerta

erro uma vez
arrependo, sofro e nego
quando erro pela segunda vez
me revolto, nao conformo
na terceira me esbofeteio, como pode
herdar um erro  tao feio assim?
na quarta é um torpor de incredulidade
quando é que meus erros vao aprender a me errar?
de longe os quero ver passar
Mas os  desgraçados teimam em me acertar
em cheio… e na testa.

Claridade em bosque

Claridades em bosques.

Vá vento, sussurre em seus ouvidos
com o lamentar dos Anjos
com a tenacidade dos Demônios
o quanto a amo

Há defeitos em nossas vidas
e por sorte sempre haverá
a perfeição é um sonho mal
uma horrível companhia

Digam meus anjos, e meus demônios
o quanto a amo, o quanto a quero
e a felicidade que tenho ao seu lado
inundaria a matéria escura

Digam que aceito-a, com o coração aberto
com todos os demônios e todos os Anjos
que nela habitam…
Não há nada mais sedutor que o cinza e penumbra.
Assim são as claridades em bosques.

 

Nascidos para vencer

Essas porcas existências
clamam a verdade
chamam a pureza
sorriem aos desajustados

Mas seu sorriso
podre é,também lascivo
e claramente nojento
a própria peconha.

Me pergunto
quando despertarão?
eu gostaria de ver
olhos de desespero.
quando o ápice de sua virtude ruir
essa moldada em podridão
seu deus esta morto
e se vivo estivesse
envergonhado estaria
escondido debaixo da cama

 

 

vencedor?

Mulheres, à Liça!!

Da beleza inquietante e inalcançável
das preocupações momentâneas, a cosmológicas
Mulher, sentir-se mulher, ser mulher
da beleza mundana, ao mergulho nas várias ciências
preocupações momentâneas e cosmológicas
Mulher, mulheres, mães, irmãs, amigas.

Inconstância?, incoerência ? , e sério fraqueza?
a muito subjugadas, esquecidas a voz suprimida,
continuaremos a cometer o erro de Poseidon?
ou apenas mais uma mentira banal, pra um machismo boçal!!

Não terceirizem suas lutas
ergam-se, as armas, à Liça!!
contra o conto mentiroso,
contra a selvageria a qualquer modo
contra o abuso tortuoso
Contra a quem precisar, e a quem for.
Não as rotulem, principalmente não se rotulem.

Quanto a nós homens?, nos falta a iluminação
que elas não querem ser entendias,
dissecadas,  torturadas, e muito e pouco defendidas
elas querem ser amadas, apoiadas em suas batalhas
não querem, e não precisam de heróis
e sim companheiros para a campanha da vida,
Que seja assim, eles, por elas!
E elas, por eles!

—-

Lyudmila Mikhailivna Pavlichenko

Lyudmila Mikhailivna Pavlichenko

 

A Varanda

Daqui um escrito em 2014 que retrata 2010 a a frente 🙂

A varanda

Ando pensando, naquele tempo
a cadeira fria, na noite quente
o gole gelado da cevada
a nossa frente, a luz da cidade
em contraste com o negro da madrugada

Palavras soltas sem contexto,
eram carregadas pelo vento
algumas, amarrávamos pela letra ao parpeito
e juntos, dávamos forma, peso e profundidades

Madrugada a dentro num estalar de dedos
e não tínhamos as duvidas,
só sobrava a certeza,
de que aqueles breves momentos
onde horas, transcorriam em minutos…
não sobrava, nenhum aborrecimento

Aaa que sentimento nostálgico
daquela varanda, tenho certeza
hei de sentir saudades
o sentido e clareza
daquelas palavras, amarradas
como balões, no parapeito
até hoje eu carrego no peito.